Pleno Sol irradiando cozimento solar no Ecocentro!

 

Na ultima sexta-feira estive no Ecocentro Brasil em São Pedro/SP promovendo mais um bate-papo sobre cozimento solar.

Este momento foi parte de um encontro/mutirão que reuniu entusiastas em permacultura dispostos a trocar trabalho por conhecimento. O Ecocentro cedeu alimentação, estadia e algumas palestras para os voluntários que dedicaram algumas horas do dia aos grandes canteiros de hortaliças orgânicas, galinhas e logística do grupo.

A conversa foi importante para afinar o projeto de cozimento solar comunitário da parceria firmada entre Ecocentro e Pleno Sol.

Mais notícias em breve…

Anúncios

4 comentários sobre “Pleno Sol irradiando cozimento solar no Ecocentro!

  1. Eu gostaria de saber se a Pleno Sol tem conhecimento de alguma pessoa ou instituição, em Fortaleza, Ceará, que esteja envolvida com projetos de desenvolvimento de fornos solares ou geradores eólicos. Tenho um projeto de forno (na verdade, de reconstrução, com aperfeiçoamento), e um de gerador elétrico que utilizaria diversas fontes de energia, para gerar eletriocidade (sol, vento, chuva, e mormaço), num único aparelho, e não sei a quem posso apresentá-los aqui em Fortaleza.

    Curtir

    1. Olá Alberto!
      Tenho uma dica quente! IDER– Instituto de desenvolvimento sustentável e energias renováveis, OSCIP sediada ai em Fortaleza!
      Gostaria de conhecer melhor o projeto deste aparelho que citou!
      Até
      Nicolau

      Curtir

  2. Caro Nicolau:
    Meus projetos, ainda não patenteados, para o setor de energia solar, são dois: 1) O fogão geodésico, hermético, que já construí uma vez, quando morava em Manaus (1993/95), ao qual proponho agora um aperfeiçoamentop (no momento, apenas teórico), que eu creio poder não apenas potencializar o calor no campo da grelha (onde se coloca a panela), mas também conservar bastante calor, para cocção de refeições leves à noite (uma estufa de grande potencial), como sopas, chás e café. Como não tenho material para desenhar, no momento, muito menos para construir, tentarei desenhá-lo no computador, e remetê-lo. Trata-se. basicamente, de um forno em formato esférico, que deverá ter +/- 1,30 m de diâmetro, com o hemisfério inferior espelhado por dentro, e o exterior de vidro transparente. O que fiz em Manaus, era confeccionado, na parte inferior, com pedaços de espelhos, hexagonais, que são fáceis de cobrir qualquer superfície curva, sem deixar muitos espaços – o ideal seria uma semi-esfera espelhada, construída num vidro único. Na parte superior, daquele que eu fiz, a cobertura era de vidro transparente. Uma vez fechado, ele não apenas permitia a entrada do calor, como também evitava a sua perda, formando uma estufa. Meu novo projeto inclui uma plataforma superior plana, portando lentes de aumento, concentrando os raios solares no fundo esférico, e também fechado, com um leve efeito “laser”. Para evitar quebra, pela pressão dos vapores, é conveniente um pequeno furo, para escape.
    2) O gerador é constituído por hélices de 6 pás (é mais eficiente), com uma curvatura especial, que permitirá girar o eixo pela ação dos ventos, e, quando não houver vento, pelo mormaço, que sobe do solo. Com sol, em tempo parado, a superfície das pás, que deverá conter células foto-voltaicas, fará a conversão da luz em eletricidade, como já acontece. Em tempos de chuva, quando não há sol, a incidência da chuva fará girar as pás, no mesmo sentido. Quando houver mormaço, sem chuva nem sol, os vapores que se elevam, rente às paredes, moverão as pás. Para maior eficiência, sugiro que o plano das hélices não seja veritcal, como costuma, mas com uma inclinação de 30 °, a partir da zenital (60° do Horizonte). Em maquetes de madeira, funcionou. A parte mais cara, são as chapas fotovoltaicas. O motivo de 6 pás, é a maior eficiência motora. Outra sugestão: para nós, que moramos no Hemisfério Sul, é conveniente que o sentido de giro das hélices seja anti-horário, pois é nesse sentido que se movimentam os fluidos (água e vento) neste hemisfério. O sentido horário, lançado pelos europeus, e adotado na América do Norte, é melhor para eles, que estão naquele hemisfério. Nos ventiladores gravitacionais que fiz em minha cabana, em Manaus, comprovei este efeito, colocando carrinhos a vela na frente dos ventiladores, e medindo o empuxo com dinamômetros. O aumento de eficiência, dos anti-horários para os horários, foi da faixa de 15%. Pena que eu tive que abandonar tudo aquilo, por causa da profissão.

    Curtir

  3. Olá!

    Foi um encontro de muita troca boa. Um outro planeta é possível!
    Obrigada por sua contribuição nesse evento.
    Até breve!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s